quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Separadas por alguns reais

Postado por Fabiana Vasques às 13:02
74372_410039719071465_1158289295_n_thumbAbri os olhos. Vi o teto branco do quarto e o ventilador de teto girando devagar. Levantei, calcei o chinelo e vesti meu hoby. Ao abrir a porta da varanda do quarto, sentia o frescor da manhã misturado ao cheiro de café vindo da cozinha. Voltei para dentro de casa, dei alguns passos rumo a cozinha e minha boca enchia de água, adorava o cheiro de café, embora não gostasse do gosto. A manhã de mais um dia havia começado.
    A mesa estava bem feita, mas com um pouco de pressa, só tomei um copo de suco de laranja, comi uma fatia de pão integral com cream cheese e peito de peru, belisquei um pedacinho de melancia e já estava de saída. Ops, voltei antes de sair para dar um beijo no Edu e dei mais uma olhada no espelho: gostei do que vi.
    Para uma quinta-feira, havia escolhido uma calça jeans branca e uma regatinha de seda rosa claro, com tachinhas de metal na gola, que dava um ar de modernidade ao visual. Calçava um peep toe marfim, bolsa D&G e os óculos finalizaram o look. Joguei a franja para trás e passei mais uma camada de rímel.
    Peguei o elevador, e chegando a garagem, acionei o alarme do meu Honda, entrei e senti o cheiro gostoso de novo. Os pensamentos estavam a mil: tinha que correr para não me atrasar para a consulta médica, e saindo de lá passaria rapidamente  na loja para pegar alguns produtos que estavam separados, depois encontraria com a mamãe no restrô: tínhamos assuntos a definir sobre as bodas de ouro da vovó. Enquanto dirigia pelas ruas de São Paulo, ouvia minha música e pensava na roupa que iria usar no jantar à noite…
Enquanto isso em algum outro lugar da cidade:
tumblr_mghiywoG1U1qfyw9po1_500_largeAcordei com a função soneca do celular despertando pela quinta e última vez. Tinha dormindo cinco minutos a mais e ia ter que correr pra compensar. Liguei a TV para ouvir a previsão do tempo,  enquanto tirava a calça de moleton e a camiseta de dormir que dizia: Vote no Careca (ganhara na época da campanha eleitoral do meu vizinho/candidato cinco camisetas iguais e desde então virara minha  peça de pijama).  Coloquei o copo de leite no microondas e apertei o botão de 01 minuto, sendo o ideal 45 segundos.
    Coloquei minha calça jeans, tinha usado na segunda e ia repetir agora na quinta, um pé da sapatilha estava perto da cama, mas não conseguia achar o outro pela casa. A gata miava querendo ração, o microondas apitou e o leite ferveu. O Eduardo levantou e começou a me perguntar onde estava sua carteira, homem não sabe encontrar nada mesmo embaixo do seu nariz. Coloquei minha camisetinha azul básica, afinal hoje era quinta feira, véspera de sexta, dia do casual Day (ainda não tinha percebido mas a camisetinha estava com um furinho bem embaixo do braço, o que me faria monitorar os movimentos o dia todo).
    Joguei 3 colheres de achocolatado no leite ainda quente, misturei com um pouco de leite frio, mexi rapidamente e engoli, embora a temperatura tivesse passado do quente para morno/frio. Peguei a bolsa em cima do sofá e saí. Cinco minutos depois voltei, tinha esquecido o bilhete único. Agora estava mais atrasada ainda, e não poderia esperar na fila para pegar o ônibus vazio. Peguei o primeiro que veio, cheio até o talo, mas eu já estava acostumada, não precisava segurar em nada, já tinha aprendido a equilibrar o corpo entre uma troca de marcha e outra e os solavancos do coletivo.
    Tinha esquecido de fazer a marmita e não sabia onde ia almoçar: pastel de feira, coxinha da padoca ou prato feito do bar, próximo do trabalho não havia outras opções. Enquanto seguia para o trabalho atrasada, pensava no que faria pra janta, e que tinha esquecido de por o pote de sorvete com feijão para descongelar…

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Começando a organizar as coisas

Postado por Fabiana Vasques às 17:46 0 comentários

Com organização e tempo, acha-se o segredo de fazer tudo e bem feito.

Pitágoras

    A frase de Pitágoras não poderia ser mais atual. Muitas vezes, sentia as horas consumirem minhas forças e energias, e em alguns casos, confesso que fiquei desanimada ao ver que muitas coisas não foram feitas, outras haviam sido deixadas pela metade e projetos pessoais nunca eram concluídos. Além disso, eu só fazia o que tinha de ser feito no último momento: se tinha de pagar uma conta, era no último dia ou atrasada.  Em minha dieta, só percebia que alguma coisa tinha acabado na hora de preparar minha comida saudável (quem está em reeducação alimentar sabe o quanto é difícil deixar de comer baboseiras – imagine se na hora da fome não tem nada saudável em em casa).

    Pensando em uma forma de conseguir dar conta do recado e fazer as coisas com perfeição, entrei na onda da organização. E a primeira coisa que precisava de ordem e progresso era minha cabeça. Às vezes estava no ponto esperando o ônibus e tinha uma ideia brilhante e confiava que mais tarde lembraria daquilo. Porém no decorrer do dia, apareciam problemas, tarefas e tantas outras coisas que acabava esquecendo do pensamento da manhã. 

    Para começar a desentulhar minha cabeça, adotei 03 medidas que estão ajudando demais:

1-Comprei um bloquinho de anotações e deixo na bolsa com caneta. Lá eu marco todas as coisas que não quero esquecer, na hora em que o pensamento vem a minha mente: pessoas que preciso ligar, pendências que tenho que resolver, livro que vi alguém lendo e quero comprar e todas as coisas que  não poderão ser resolvidas naquela hora, mas que tomaram meu pensamento.

2- Fiz uma agenda virtual. No meu caso foi melhor a virtual pois uso o computador para trabalhar o dia todo e assim consigo acompanhar as tarefas. Nesta agenda, comecei a marcar todos os compromissos e coisas que tenho de fazer com certeza: data de ir ao cabeleireiro, dia de pagar uma conta, etc. Meu e-mail é do yahoo, por isso uso a agenda deles, como tenho hábito de checar com frequência minha caixa de entrada, já aproveito de dou uma olhada nas tarefas.

image

- Baixei o Evernote: o Evernote é um sistema que está me ajudando a organizar minhas coisas. Com esse programa, todas as informaçõe que chegam a mim, eu coloco na caixa de entrada (como se fosse um bolsão que recebe todas as informações) e depois eu vou catalogando. E-mails interessantes que recebo, mas que não posso ler naquele momento, sites e blogs que quero visitar depois, matérias para serem lidas, imagens, rascunho de textos que escrevi…. e por aí vai.

    Com o evernote, eu centralizo tudo em um só lugar e depois vou arquivando. Tenho uma pasta chamada Casamento, então tudo relacionado ao meu evento vou colocando lá: cotação, ideias de decoração, etc. Talvez você me pergunte qual o diferencial do evernote… Bom, lá eu também posso jogar imagens que tiro com o celular, como meu cardápio, cartão de visita, roupa que vi em promoção. Este foi um programa que achei útil para limpar a minha mente, mas acho que as pessoas poderão usar algum outro.

image

O importante é não achar que vamos conseguir dar conta de tudo mantendo o cérebro cheio de tarefas, informações, estímulos. Seria confiar demais na memória.

    E depois de organizar melhor minha mente, vou tentar essa semana seguir esta rotina para fazer uma coisa que queria faz tempo, mas não achava tempo de fazer, que é meu curso de francês on line e gratuito do site da BBC. Meu cronograma de segunda e terça (pra vocês terem uma ideia ) ficou assim óh:

Segunda

Manhã

Levantar as 05:20 - fazer exercícios do P90X até 06:00
Tomar shake antes de ir p/o trabalho
No ônibus ler o livro do mês - 30 minutos

Noite
Sair às 18 hs do trabalho e ir para a academia - fazer aula de body combat + 30 min esteira
Vir pra casa, preparar o jantar
Fazer o que quiser !

Terça

Manhã
Levantar as 05:20 - fazer exercícios do P90X até 06:00
Tomar shake antes de ir p/o trabalho
No ônibus ler o livro do mês - 30 minutos

Noite

Sair as 18 hs do trabalho e ir para a academia - fazer aula de body combat + 30 min esteira
Vir pra casa, preparar o jantar
Estudar 30 minutos de francês no computador - site da BBC

E aí, o que achou? Se você leu este post, gostaria muito que comentasse abaixo!

Até a próxima ;-)

sábado, 23 de fevereiro de 2013

First Kiss

Postado por Fabiana Vasques às 07:57 0 comentários

kiss

Na família Lima, paira uma lenda que uma BV – boca virgem – tem até o seu 15° aniversário para dar seu primeiro beijo e acabar com a maldição de solteirice pelo resto da vida. Na verdade, isso aconteceu apenas duas vezes, mas foi o suficiente para causar pânico entre as mulheres da casa, as duas que beijaram depois dos 15 anos, tiveram um fardo muito pesado: nunca conseguiram se casar.

    A tia Brígida tem 45 anos, e deu seu primeiro beijo apenas aos 17 anos e o jovem Samuel jurou casar-se com ela assim que atingissem a maioridade. Um dia ele teve uma dor no peito e no auge dos 18 anos morreu de ataque fulminante.

    Antes dela, foi a tia Sofia, que hojé é uma senhorinha, e minha mãe disse que ela somente beijaria um homem quando ele a pedisse em casamento… porém no meio de mais 6 irmãs, sendo ela a mais velha, foi a única que não casou-se pois sempre que um jovem aproximava-se da família, uma irmã mais sabidinha logo tascava-lhe um beijo e assim uma por uma constituíram família ficando somente titia Sofia.

    A questão é que não sabemos se a tal da maldição é verdade ou não, mas nas reuniões de fim de ano, antes das tias solteiras chegarem, sempre surgem questionamentos se elas ainda são virgens, contudo não sei se falam virgens de beijo, ou virgens de tudo, por isso todas as primas, logo gabam-se umas as outras assim que deixam o posto de BV (Boca Virgem)

    No meio desta coisa toda, foi que constatamos no último ano, que a única entre as 15 primas que estava perto de completar 15 anos e que ainda não tinha beijado era eu, e por isso, mais que depressa todas resolveram dar uma forcinha, afinal, já era hora de eu dar um jeito nisso.

    Nos dias que se seguiram, recebia recadinhos no face, torpedos no celular e as meninas diziam que conheciam um garoto  no colégio que toparia ajudar-me com a coisa, apenas para evitar a maldição. Afinal de contas, era dezembro e meu aniversário de 15 anos seria dali há 02 meses, em Fevereiro. Até minha mãe que dizia não acreditar em invenções idiotas, andou perguntando se eu não conhecia nenhum garoto bonitinho na escola, ou o que eu achava do Dudu, o vizinho da frente que era conhecido por  não gostar muito de tomar banho. Pensei comigo mesma, qual seria meu cruel destino: ficar solteira pelo resto da vida, beijar o Dudu fedido ou os meninos esquisitos conhecidos das minhas primas.  Eu tinha sonhado com um beijo apaixonante, meigo, doce e mágico, mas o tempo conspirava contra mim.

    Foi então em Janeiro de 2011, que decidimos passar um final de semana em Pinda, na casa da minha avó paterna. Havia uns dois anos que não íamos para lá, e assim que cheguei, percebi apenas uma coisa diferente: o moleque sardento da casa em frente a da minha avó tinha crescido, tirado o aparelho e com certeza aprendeu as maravilhas de um gel no cabelo. Ao cumprimentá-lo quase derreti: ele usava um perfume masculino de homem, não cheirava sabonete, e ele tocou-me de leve nas costas, deu um beijo no rosto e sorriu…

    Meninas, não subestimem o poder de um perfume…garoto cheiroso, com mãos delicadas e sorriso maroto, danado, ele me pegou. Não consegui pensar em outra coisa desde sexta até sábado. E foi assim como que por acaso(mentira, era pretexto para cruzar com o garoto), fiquei sentada na calçada a noite, ele chegou e sentou-se ao meu lado. Ficamos por horas conversando sobre tantos assuntos, ele tinha tanta coisa em comum comigo, que não vimos o tempo passar.

    Decidimos caminhar um pouco, e no final da rua tem uma árvore enorme, e no interior de São Paulo o calor é de matar…já eram mais de onze horas mas estava tudo tão quieto e o céu estava lindo, limpo e cheio de estrelas (coisa que aqui em São Paulo não acontece), naquele momento mágico, não precisaram de palavras, ele chegou perto e me beijou.

    Acho que durou um minuto e meio. Ok, não tenho certeza só contei até 10 mentalmente e depois me rendi. Todas as técnicas que as meninas me ensinaram, eu não lembrei de aplicar, coisas como : vira a cabeça pro lado oposto, ou não abre os olhos, ou não abre  muito a boca para não babar.

    Bom, se a maldição da família existe mesmo eu não sei, mas o beijo foi muito, muito bom e o melhor de tudo: não foi com o Dudu fedido.

    Meu conselho para quem é BV?

    Menina, não existe conselho! Toda garota vem com manual de beijo incluso desde que nasce, e está pronta para beijar. Queridas somos garotas e uma garota sempre sabe fazer a coisa certa quando chega a hora.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Saindo da zona de conforto

Postado por Fabiana Vasques às 07:20 0 comentários
DAS UTOPIAS
Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!
Mario QuintanaNina’s Clicks创意街头摄影…_来自媚媚-的图片分享-堆糖网

   
Lembro-me que, quando aprendi a andar de bicicleta, tive algumas quedas. Sentia um frio na barriga, misturado com coragem. Passado algum tempo, dominei o equilíbrio e já andava sem ajuda. Quando fiquei exper, exibia minha caloi ceci na rua e às vezes erguia as duas mãos ao mesmo tempo, eu era uma mestre da duas rodas! Além disso, aquela bike me levava a horizontes mais longes: podia sair para outras ruas além da minha. (Pode parecer besteira, mas aos 10 anos, andar nos quarteirões era o auge da liberdade infantil).
    A zona de conforto envolve tudo o que nos deixa a vontade. A sensação de conhecer, saber fazer algo bem, sentir-se  segura e tranquila…  É como ler: não nos esforçamos mais para juntar as sílabas, para lembrar que som aquela grafia representa, flui naturalmente, olhamos uma palavra e lemos quase que de imediato. Isso acontece porque dominamos aquela língua e sabemos lidar com ela.
    Tudo o que está fora do nosso círculo, tudo o que está do lado de fora da zona de conforto traz medo e  insegurança. Até nos apropriarmos do desconhecido, ficamos receosos. Os pensamentos de dúvida invadem nossa mente e perguntas sem resposta vem: E se não der certo? E se não conseguir? E se me machucar, rirem de mim? E se disser algo errado, se não for a estrada correta, e se me arrepender?
    Deixar de sonhar tem a ver com a covardia de não ousar mais. Por um tempo pensei que se, fosse mais realista, sofreria menos, caso os sonhos não se tornassem reais. Achava que, se vivesse dentro do meu mundinho, as coisas seriam mais fáceis. E foram por um tempo. Só não tinha entendido que uma vida sem projetos, sem desafios, sem riscos, não é vida… é só existência.
    E assim decido dia após dia sair do confortável, olhar com bravura e seguir para o fim da prova. Como se estivesse em uma corrida, onde muitos correm próximos, outros desistem e eu só olho para a chegada.
   Quero o novo, o difícil. Quero chegar a lugares onde outros não chegaram, quero ser diferente, ter uma luz própria e cintilante. Quero aprender francês, tocar teclado, ir a Israel. Andar a cavalo, ser figurante em Boollywood, correr uma maratona, ficar loira e não gostar, jogar um preto azulado, cortar chanel, joãozinho. Quero ler mais livros africanos, quero um blog de sucesso, quero ganhar dinheiro mas não ser ganha por ele. Quero viajar o mundo, mas ter um lar pra voltar. Quero receber cartas de amigos pelos correios, quero ter um filho, quero amar sem medida e ser amada.
    Se no meio do caminho tiver alguns arranhões, se adquirir uma dívida, se chorar de vez em quando, não importa. Desde que eu feche os olhos e ainda possa pensar em mais um último sonho, sei que vale a pena.
    Quero uma vida vivida, longe da zona de conforto!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Cemitério de Sonhos

Postado por Fabiana Vasques às 05:40 0 comentários

Posso ser forte a quase tudo, mas menos a frustração;

Julio Aukay

 

Resultados de la Búsqueda de imágenes de Google de http://belleontheboulevard.files.wordpress.com/2011/06/tumblr_lmq4v1werd1qcmui9o1_500.jpg%3Fw%3D812

Como fazer seus sonhos morrerem em 10 passos

  1. Ouça palavras negativas e guarde-as
  2. Viva intensamente suas derrotas
  3. Agarre-se ao passado
  4. Foque seus problemas
  5. Reclame e murmure sempre
  6. Pense em coisas ruins
  7. Viva pela razão
  8. Tenha uma vida estagnada
  9. Aceite os obstáculos
  10. Desista do impossível

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

A vida em poesia

Postado por Fabiana Vasques às 05:30 0 comentários

SIMULTANEIDADE
- Eu amo o mundo! Eu detesto o mundo! Eu creio em Deus! Deus é um absurdo! Eu vou me matar! Eu quero viver!
- Você é louco?
- Não, sou poeta.

Mario Quintana

ImageShack® - Online Photo and Video HostingNada mais simples que um verso. Nada mais complicado também. É tudo tão…

    Tão como me sinto, tão verdadeiro, tão profundo, tão compreensível, tão gostoso, tão triste, tão solitário, tão lindo, tão intenso, tão estrano, tão eu.

    Eu admiro pra caramba esses caras! Como conseguem achar as palavras certas para dar voz a nossas almas?  Aqui no blog, decidi que vou sempre colocar um trecho de poesia antes dos posts… O blog é sobre a minha vida, minha vida é poesia.

 

Rabisco Virtual Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos